poesia | poem



Hoje é dia de maldade.
Arde. 

Fim de tarde.
Quase miragem.
Quase ninguém.
.
Parecia tão perfeito.
Como beijo de cinema.
Congelados.
Que pára a cena.
.
Som desligado
por causa da polícia.
eu e você parados
No meio da pista.
.
Em
flagrante.
.


.







Servi de assoalho
Pro seu agouro.

Seu apetite
Pendurei no pescoço.
.
Assentamento esfolado.
Pra construir
Tem que primeiro limpar o terreno.
.
Terreiro.
Ignorado.
.
Ranger da cama.
Barulho de estaca.
                                                          É desculpa pra noite mal dormida.
.
Como lidar 
De vez em quando
Com sua partida.
.
Se nessa ida
Quem morre na beira da praia
Sou eu.
.
Póstumo
.

dez | 2016



















O que era mesmo que eu tava falando?
Ah!! os boatos da noite anterior.

Era a fruta do desejo.
.
Fui presa fácil perto do corredor.
Virei tapume de construção.
Tapete aconchegante da sala de estar.
Alinhada sua figa na minha.
.

Na imaginação era festa de são salvador.
Tsunami em alto mar.
Derretimento polar.
.

Contradizendo idas e vindas da sua mão.
Manipulação do luar.
Esse em escorpião.
.

Não tenho mais no que apostar.
É isso que temos pra hoje.
.
Guardo retalhos do seu olhar.
Fragmentos do seu cheiro no ar.
O toque da respiração.
.
Isso que nos pertence até então.
E nada mais.
.
Mag | 2016







Sob as cabeças
Via láctea.



Conexão telepática.




Faz ligação entre 

Eu e você.







Mag | 2016








Estilhaço é de aço
e bateu no portão.
Esse menino vira lata
Arruaça, ginga no meu coração.
.

E eu aqui em choque.
É tanto estilhaço
E eu em choque com essa ocupação.
.
Essa carne é lapidada
Golpeando amarração.
Vou entrando na quebrada
E fazendo a saudação.
.
Sou linha de frente
Carrego toda essa gente
Nas costas.
.
Mag | 2016






Você nem me conhece.
Como pode me amar assim?
.
Não vê que reflete
Seu desejo em mim?
.

Ás vezes amo
Chupo até o caroço.
Ás vezes nunca mais.
.
Não desperdiço meu barato.
Na rua amarrei meu laço.
.

                                                                                   Coloridas lantejoulas do meu bordado                                                                                                      ofuscam sua ilusão.
.

                                                                                   Perto ninguém é normal.
                                                                                   Longe me perco igual.
.
Mag | 2016